quarta-feira, 5 de agosto de 2009

caminhava por ai
agora só.
acompanhado apenas por pensamentos
inconsientes, permanentes
absolutamente insistentes.
era isso que sentia,
isso que incomodava.
a não presença das pessoas
a ausência das vozes
do som dos passos
a presença do vazio
e ausência de alegria.
alegria que não sentia
não via
não fazia.
presença despreenchida
ausência não sentida
solidão inseparável
angústia companheira
tempo solidificador e congelante
complexidade imcompleta.

4 comentários:

  1. às vezes o tempo faz os dias intermináveis, como se não passassem.

    ResponderExcluir
  2. solidão voluntária ou não sei que agora não importa.
    é como se as mãos estendidas fossem o mesmo que nada

    ResponderExcluir
  3. meu amor!
    nada na vida é por acaso!!!
    vc nunca esta sozinho...
    vc tem a sua família que te ama muito(sua esposa e seus filhos)
    meu gatinho...quando em meus ombros uma lágrima sua rola pelo meu corpo, padece um pedacinho de minha alma que é sua meu amor...
    essa tempestade vai passa e nossa vida vai mudar para um lar de alegrias...pois toda as maldades feitas pelas pessoas estão terminando. te amo!

    ResponderExcluir